Museu do ouro: cinco assaltantes condenados

View previous topic View next topic Go down

Museu do ouro: cinco assaltantes condenados

Post by joaninha on Tue Nov 02, 2010 10:16 pm

O Tribunal Judicial de Viana do Castelo condenou, esta terça-feira, a 18 anos de prisão cada um dos cinco homens acusados da autoria do violento assalto ao Museu do Ouro daquela cidade, em Setembro de 2007, escreve a Lusa.

Durante as alegações finais, o Ministério Público pediu 10 anos de prisão para cada um dos arguidos, mas a defesa «exigiu» a absolvição de todos, considerando que «não foi feita qualquer prova que os possa ligar» aos factos.

Na altura do assalto, os indivíduos envolveram-se numa troca de tiros com a PSP.

Os assaltantes fugiram numa carrinha roubada, que viriam a incendiar poucos minutos depois num caminho da freguesia de S. Romão de Neiva, prosseguindo a fuga numa outra viatura, também furtada.

Pouco depois, dava entrada no Hospital da Trofa um jovem ferido com um tiro na cabeça, que acabaria por morrer.

A acusação garante que esse jovem esteve envolvido no assalto e poderá ter sido baleado na troca de tiros com a PSP, mas a defesa refere que não há nada que prove esse envolvimento.

A defesa classificou toda a acusação como um filme, chegando mesmo a afirmar, com ironia, que «Woody Allen não teria feito melhor».

O caso foi julgado por um tribunal de júri, constituído por três juízes e quatro jurados, estes últimos escolhidos aleatoriamente entre os cidadãos eleitores de Viana do Castelo.

Este julgamento ficou ainda marcado pelos casos de ameaças às testemunhas que acusavam os arguidos. Num dos casos, uma mulher ameaçada de morte acabou mesmo por não conseguir contar todos os factos ao tribunal.

Os arguidos estavam no banco dos réus acusados de três crimes de roubo, dois de homicídio qualificado na forma tentada, três de ofensas à integridade física qualificada, dois de falsificação de documento e dois de detenção de arma proibida. Dois deles eram ainda acusados de contra-ordenações no âmbito do Código da Estrada.

Os advogados de defesa no processo asseguraram, entretanto, que vão recorrer da decisão. «O tribunal não ousou fazer justiça, porque fazer justiça impunha a absolvição», disse, no final da leitura do acórdão, Gabriel Freitas, advogado de dois dos arguidos, considerando que a decisão do tribunal de júri «roça o ridículo», por alegadamente assentar «em meras deduções».

«Crime quase perfeito»

Por seu lado, o Tribunal Judicial de Viana do Castelo classificou o assalto como «um crime quase perfeito», que apenas a morte de um dos assaltantes ajudou a desvendar.

«Foi um crime quase perfeito, mas o destino da vida quis que Bruno Moreira [um dos alegados assaltantes] falecesse», referiu o juiz presidente do tribunal de júri que julgou aquele caso, durante a leitura do acórdão, sublinhando que foi aquela morte, com a qual os assaltantes «não contavam», que «conduziu à descoberta da verdade».
avatar
joaninha

Messages : 2856
Points : 2665
Reputação : 22
Localização : Lisboa

View user profile

Back to top Go down

View previous topic View next topic Back to top

- Similar topics

 
Permissions in this forum:
You cannot reply to topics in this forum