para ti (...)

Go down

para ti (...)

Post by ritandrade on Fri Sep 17, 2010 9:36 pm



Hoje, escrevo para ti. Senti que nada mais havia a fazer por nós, senti que devia deixar o meu amor por ti voar, desaparecer. Senti que este sentimento estava gasto e que precisava de partir.
Hoje, senti que devia tirar-te da minha vida uma vez mais, mas desta vez para sempre. Ambos sabemos que no meio do nada tudo pode renascer, mas no meio de tudo nada pode morrer, e nós já fomos o tudo, a minha razão de continuar aqui para tudo o que viesse. Neste momento já não somos nada, já não pertencemos um ao outro, já não fazemos sentido juntos, já não és o meu sol e eu já não sou a lua que brilhava em função de ti.
Hoje, espero que partas de mim, espero que a força que exerces dentro de mim, desapareça finalmente e deixe espaço dentro de mim. Descobri que um amor precisa de ser cuidado por ambos, assim como tudo aquilo que gostamos verdadeiramente. E tu não cuidaste do nosso como eu o fiz, não cuidaste daquilo que nos pertencia a ambos, não cuidaste daquilo que eu tanto amava.
Hoje, apercebi-me que te amei como nunca tinha amado antes, de que o meu amor por ti era verdadeiro e que tu não te importavas com isso. Apercebi-me que fui feliz contigo, mas quando a felicidade se perde temos de ser nós a procurá-la porque ela não sabe o caminho de volta para o nosso coração. O mesmo se aplica ao amor, o nosso perdeu-se nas encruzilhadas que a vida nos lançou e que não soubemos ultrapassar. É provável que tenha ficado esquecido numa das muitas batalhas travadas .. É triste como apenas me apercebi do seu desaparecimento no fim da viagem (...)
Hoje, percebi que preciso de sentir que consigo voar sozinha, que consigo escrever a minha própria história. Até agora traçámos juntos o nosso destino no mapa da vida, a partir de hoje serei apenas eu. Não será fácil mas a vida encarregar-se-á de me mostrar a direcção certa.
Hoje, dei conta das saudades que tenho. Tenho saudades de falar contigo, de estar de mãos dadas e de estar abraçada abraçada a ti.
Hoje, gritei por saber que deixar de te amar é complicado. Chorei por ter achado que eras tão perfeito e pensar que era para sempre. Descobri que não é impossível, apenas doloroso.
Obrigada por me teres feito sofrer, porque assim me tornei mais forte. Obrigada por me teres gozado, porque agora sei que mais ninguém o fará. Obrigada por tudo o resto que não é necessário referir (...)
Sei que um dia irás ler estas recordações e perceber finalmente como me sinto. Irás cair em ti e perceber que ambos sofremos. Aqui fica a minha despedida e é com lágrimas que, mais uma vez (...), o faço.
Não espero que percebas o porquê desta decisão agora (...) porque é demasiado complicado para mim explicar-te e há sentimentos que não merecem explicação. Apenas o senti.
Lembra-te de mim e daquilo que já vivemos. Apenas.

Com amor, Rita.