Paciente inglês fica sem olho para se travar grave infecção

View previous topic View next topic Go down

Paciente inglês fica sem olho para se travar grave infecção

Post by ritandrade on Tue Aug 10, 2010 7:05 pm

Três dos quatro doentes operados na clínica I-QMed, em Lagoa, estão cegos. A um deles, inglês, é hoje, terça-feira, extraído um dos olhos, tal é a gravidade da infecção. Ao JN, a clínica garantiu que os procedimentos foram os exigíveis e que até forneceu cuidados pós-operatórios.

Uma das quatro vítimas da infecção ocular ocorrida numa intervenção cirúrgica oftalmológica na clínica I-QMed, em Lagoa, um paciente de nacionalidade inglesa, será hoje, terça-feira, submetido a uma operação para a extracção do olho direito.

A equipa médica do Serviço de Oftalmologia do Hospital dos Capuchos, em Lisboa, optou por tentar impedir assim o alastramento da elevada infecção, tendo garantido a Michael que receberá uma prótese.

De 66 anos e residente no Funchal (Madeira), Michael e outros dois doentes foram ontem declarados clinicamente cegos, 15 dias depois de terem entrado nas urgências daquela unidade do Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHCL). Através de um comunicado, a equipa médica do CLHL revelou que "estão esgotados todos os procedimentos com o objectivo de tentar preservar a função da visão, dos três doentes sujeitos a cirurgia de cataratas a um único olho".

Quanto à quarta paciente, Valdleine, a cidadã brasileira que se submeteu a uma operação de colocação de lentes intra-oculares, continua com prognóstico muito reservado. Mãe de uma menina de três anos e um rapaz de 15, apenas consegue diferenciar a escuridão da claridade.

Maria do Rosário Barradas, filha de um dos pacientes com cegueira definitiva, Ernesto (de 83 anos), mostrava-se, ontem à noite, transtornada com o facto de ter conhecido o estado clínico do familiar pela comunicação social.

"Estou revoltada. Não quero acreditar que estou a sair da visita (às 20 horas), sem que os médicos me tenham dito nada", disse, chorosa. "Não tenho advogado e não conheço os familiares dos outros doentes. Precisamos que nos ajudem a seguir para a Justiça", apelou Rosário Barrada, cujo pai pagou 1100 euros pela operação.

Franz Versteeg, o médico que operou os quatro doentes, em Lagoa, já foi ouvido pela Inspecção-Geral das Actividades Económicas (IGAS). Holandês, o profissional mostrou-se disponível não só para entregar os vídeos das intervenções oftalmológicas ocorridas a 20 de Julho de 2010, como terá explicado que o material usado naquelas cirurgias foi encaminhado para análise laboratorial.

Ao JN, fonte da I-QMed explicou que "todos os procedimentos foram tomados". "Aliás, horas depois da operação, a cidadã brasileira queixou-se e à uma hora da manhã (de 21 de Julho) já estava a ser atendida na clínica", explicou, adiantando que nos próximos dias haverá mais explicações no site da clínica algarvia.

Quanto ao facto de Versteeg ter o psicólogo Reinaldo Bartolomeu como assistente de oftalmologia – que não é reconhecido pela Ordem dos Médicos – durante as cirurgias, a mesma fonte foi clara: "antes de ser psicólogo, Reinaldo Bartolomeu já trabalhava como assistente. Estudou e manteve-se na clínica, onde está há vários anos, também como psicólogo".

jn
avatar
ritandrade

Messages : 17695
Points : 10278
Reputação : 220
Localização : Puerto :p

View user profile

Back to top Go down

View previous topic View next topic Back to top


 
Permissions in this forum:
You cannot reply to topics in this forum